sábado, 25 de setembro de 2010

ERUNDINA DISCURSA CONTRA IMPRENSA GOLPISTA


O dia 23 de setembro de 2010 foi um daqueles dias em que muitos militantes recordaram o período de agitação política vivido nas diretas ou no Fora Collor. Não pela proporção numérica dos envolvidos, mas pelo gás e seriedade dos participantes que se fizeram prontos a se posicionar contra um manifesto comportamento abusivo da denominada "Grande Imprensa" brazuca.
Ocorreu neste dia o “Ato contra o golpismo midiático”. Estavam presentes representantes da CUT, CTB, CGTB, Nova Central Sindical, MST, Altercom, Barão de Itararé, Sindicato dos Jornalistas, UEE/SP, PDT, PCdoB, PT e PSB e muitos militantes de diversos movimentos e tendências. Luiza Erundina também esteve por lá.
O denominado golpismo midiático parece ser a tônica dos últimos meses no Brasil. E isto não deve ser naturalizado como um processo evolutivo na sociedade, mas sim, vislumbrado como um fenômeno em que forças político-midiáticas se confrontam com um projeto político para o Brasil que é antagônico a sua visão de mundo.
Os factoides, notícias que não reportam a fatos mas sim a opiniões, desqualificação de pessoas por ataques a sua vida privada, eis o ingrediente retórico das redações dos jornalões. É tempo em que o STF tira da existência jurídica a referência de regras básicas sobre a atividade de imprensa. Ademais o cenário político/jurídico é o daqueles em que os que sempre mandavam, e se submetiam de vez em quando aos caprichos do direito de resposta, depois que já haviam feito o estrago na imagem de alguém, agora nem a isso se submetem. E mais, agem de forma parcial em favor de um dos candidatos a Presidência da Répública, José Serra, e contra a continuidade do projeto de governo do Partido dos Trabalhadores.

No vídeo a seguir, temos Luiza Erundina, ex-prefeita de São Paulo e atual deputada federal. Também, uma das mais ativas deputadas em favor da modernização e democratização do sistema de comunicação no Brasil. Articuladora fundamental para a realização da primeira Conferência Nacional de Comunicação.
Erundina aponta as razões para o tal comportamento midiático em um emocionante discurso.



Nenhum comentário:

Postar um comentário