segunda-feira, 23 de agosto de 2010

COMO DESENVOLVER MAIS E MELHOR - O DESAFIO DO PRÓXIMO GOVERNO


Uma das palavras mais repetidas no contexto eleitoral é a “desenvolvimento”. Isto por que o Brasil observou uma melhora inegável nas suas condições de produção interna industrial, comercial e na vida do brasileiro em geral.
Tanto, a classe média, quanto os mais pobres obtiveram ganhos da ordem econômica com sustentabilidade econômica refletidos na maior capacidade de compra e na continuidade de ganho, já que o espaço de trabalho no Brasil se tornou mais estável para o trabalhador, posto que se encontra em expansão e não em situação de crise estrutural e de dispensas.

Sobre as taxas de crescimento no Brasil

No entanto, o simples fato de ocorrer crescimento econômico em um país, não leva a um necessário ganho social. A maior crítica da imprensa hegemônica e dos adversários de Lula e Dilma (neste caso: Serra, Marina e Plínio) é a de que o crescimento econômico no Brasil poderia ter sido maior e que este teria ocorrido determinado, quase que completamente, pelo crescimento econômico mundial, e não em razão da condução racional de uma política econômica em curso. Mesmo com a grave crise econômica global, o discurso permaneceu, ainda que se tenha percebido a continuidade do padrão de desenvolvimento no Brasil.

Na verdade as taxas de crescimento econômico no Brasil não são tão altas quanto às de alguns outros países, por que o Brasil tem um processo diferente em curso, em que fatores sociais devem ser incorporados ao projeto econômico. Esta dialética deverá ser mais dinâmica nos próximos anos, em um eventual governo Dilma e, certamente, não é decorrente de uma simples e natural condição da economia mundial, mas um projeto em curso.

Muitos países crescem economicamente, mas com isso agravam a questão da divisão de renda, uma vez que o acréscimo de capital que o desenvolvimento econômico traduz leva a um desenvolvimento tecnológico e de maquinário dos capitalistas, tanto quanto uma maior oferta de produtos que pode gerar aumento de desemprego e redução da capacidade de compra dos salários.


Os olhares do mundo
O tema do desenvolvimento está sendo desafiado por diversas nações, no presente momento histórico, inclusive pelos EUA. Também, não é gratuita a atenção que tem sido levantada no cenário internacional quanto ao certame eleitoral brasileiro. Isto por que, o Brasil, além da China, podem apontar modelos de desenvolvimento nacional, baseado na especificidade de suas condições internas (sociais e econômicas), norteadores para muitos outros países.
No vídeo a seguir Luiz Gonzaga Belluzzo, professor titular de economia da Unicamp e atual presidente do Clube Sociedade Esportiva Palmeiras, trata a questão, com rigor marxista, de forma clara e objetiva, traçando um norte de desafios para o avanço da questão do desenvolvimento.
















Esta fala foi proferida na Sede Nacional do PC do B, na última sexta feira, dia 20 de agosto de 2010, em razão do lançamento do livro Desenvolvimento: Idéias para um projeto nacional, organizado por Aloísio Sérgio Barroso e Renildo Souza.

A matéria sobre o evento pode ser encontrada no seguinte endereço: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=1&id_noticia=135516

Nenhum comentário:

Postar um comentário