sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

BLOG DO PLANALTO: PAC MUDOU A CONDIÇÃO DE SE INVESTIR NO BRASIL

Um dos pontos fortes do PAC, que teve seu balanço de três anos divulgado nesta quinta-feira (4/2), foi o envolvimento dos funcionários do governo na montagem dos projetos. Com isso o governo teve que readequar a máquina administrativa para atender as demandas, mudando assim as condições para se investir no País. A avaliação foi feita pela ministra Dilma Roussef (Casa Civil) em entrevista coletiva concedida após a cerimônia realizada no Palácio Itamaraty, em Brasília.

“O desmonte do Estado brasileiro nos últimos anos fez com que o País perdesse um pouco a capacidade de executar”, afirmou. Dilma Rousseff lembrou as diferenças salariais entre servidores públicos e empregados da iniciativa privada, justificando a realização de concursos como forma de fortalecer o Estado.

Ao ser questionada sobre o aumento do volume de restos a pagar, que chegou a R$ 25 bilhões nos últimos três anos, e se isso pode atrapalhar a execução orçamentária do ano e a próxima administração de governo, Dilma afirmou que é preciso trabalhar para se ter uma forma de execução de investimento diferenciada em relação à forma de execução de custeio. Já o ministro Paulo Bernardo (Planejamento) disse que não há problema algum em se ter restos a pagar e que a questão ter que ser avaliada mais de uma forma jurídica do que política, como alguns vem fazendo.

Dilma Rousseff explicou também que a execução das obras e a fiscalização do Tribunal de Contas da União (TCU) se dará com muito diálogo e entendimento. Embora reconheça divergências entre o agente fiscalizador e o governo, as obras propostas no âmbito do PAC serão realizadas. A ministra admitiu que não foi possível incluir a construção de metrôs em cidades que sediarão os jogos da Copa 2014 por questão de prazo de conclusão, mas deixou acertada que elas serão colocadas no PAC 2, para os anos 2011/2015, que vem sendo preparado pelo governo.

Fonte: Blog do Planalto

Nenhum comentário:

Postar um comentário